Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Spammers atacam novamente

Em uma sociedade que vê os spams como pragas a serem combatidas a todo custo, os spammers utilizam suas técnicas cada dia mais aprimorada e duvidosas, sem falarmos mentirosas, para colocar seu lixo eletrônico na caixa postal de suas vítimas.


Segundo relatório da Symantec, pelo menos 80 sites de links encurtados estão em operação, o que dificulta muito o bloqueio dessas mensagens

A Symantec, empresa de antivírus, acaba de anunciar os resultados de um relatório mensal de inteligência. Entre as descobertas, a análise releva que spammers, que possuem seus próprios serviços de encurtamento de URL, estão em operação. Segundo o relatório, existem pelo menos 80 sites em ação, o que dificulta muito as soluções antispam tradicionais de bloquearem as mensagens.

"É possível que os spammers tenham configurado seus próprios sites de encurtamento de URL porque os sites legítimos, que vêm sofrendo muitas violações, aprimoraram um pouco seus sistemas de detecção de spam e outras URLs maliciosas. Não está totalmente claro por que os sites são públicos. Talvez isso seja simplesmente devido à preguiça dos spammers ou talvez uma tentativa de fazer com que o site pareça legítimo", explica Paul Wood, analista sênior de inteligência da Symantec.

A empresa também descobriu ameaças em um discador SMS com tarifas especiais cujo alvo são consumidores na Europa Oriental. O discador tenta se passar por uma aplicação legítima imitando a marca de uma popular ferramenta VoIP/para mensagens. "Os discadores SMS premium começaram a aparecer no cenário de ameaças móveis mais frequentemente, em especial na Europa Oriental. Não é nenhuma surpresa que os autores responsáveis por usar essa lucrativa fonte de receita pareçam estar aprimorando suas táticas e migrando para plataformas mais novas", comenta Wood.

O relatório ainda revelou que em outubro a taxa global de spam no tráfego de e-mails teve queda de 0,6% em comparação com setembro de 2011 e que, a atividade de email do tipo phishing (que rouba dados), caiu 0,07% em relação ao mês anterior. Além disso, a taxa global de vírus transportado pelo tráfego de e-mail também teve queda de 0,11%, assim como outros programas potencialmente indesejados, incluindo spyware e adware, que caíram 4.3%.