Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Cinco fatores essenciais para implementação de softwares para monitoramento

Analise suas aplicações antes de comprar software de APM para não fazer investimentos desnecessários

De acordo com o IDC, a média total de custo para indisponibilidade de aplicações por ano entre as 1000 mil empresas listadas na Fortune é de 1,25bilhões a 2.5bilhões de dóalres. Para reduzir este tipo de prejuízo, a demanda por softwares APM (do inglês, Application Performance Monitoring) cresceu muito, por ser um componente essencial para melhorar a disponibilidade das aplicações. Em sua maioria, os projetos são feitos visando infraestrutura e não aplicação. Com base neste ponto de vista, listei abaixo os cincos pontos principais a serem analisados para uma boa implementação de uma ferramenta APM.


1 - Faça sua decisão orientada à linha de negócio 

Lembre-se que o foco de uma implementação APM é melhorar a disponibilidade e a performance das aplicações para as áreas de negócio, sendo assim, comece a análise fazendo uma revisão nas áreas para entender quais aplicações são mais relevantes e defina stakeholders. Não tente monitorar tudo, monitore somente o que é crítico. Em termos práticos, significa construir um plano de implementação APM alinhado com os stakeholders. Não é saudável implementar somente para uso interno da área de TI. Desta forma você pode conseguir melhorar a monitoração e a performance de sua aplicação, mas terá dificuldade de justificar futuros investimentos.

2 - Defina métricas por aplicação

Cada aplicação tem seu comportamento e complexidade. Existem melhores práticas do mercado para as aplicações mais comuns, porém é essencial uma análise das principais métricas a serem geradas por aplicação. É isto que definirá a complexidade da implementação, pois um software APM vai gerar dados relevantes para a TI e à área de negócio, que deve usar esses dados como um agregador de valor. A definição das métricas é um ponto muito importante, sendo que dependendo das medidas necessárias pela área de negócio, podem inviabilizar a implementação da solução devido à alta complexidade como, por exemplo, a necessidade de customizar a aplicação. Não comece a definição das métricas por CPU, memória e disco. Adote um modelo de ouvir a sua área de negócio e inicie por métricas como rentabilidade, impacto na renda, tempo médio da transação, dentre outros.

3 - Defina e implemente um gerenciador de eventos

Dois dos principais valores ao negócio fornecidos pela implementação de software APMs são isolar a causa raiz e a área de TI ser mais rápida na resposta a um incidente. Para atingir estes objetivos é importante usar dois conceitos relacionados à gerenciamento de eventos, tais como correlação e enriquecimento. Um incidente é um conjunto de eventos para conseguir definir se realmente ele existe. É imprescindível que seja implementada correlações para conseguir, de forma rápida e automática, definir quais conjuntos de eventos caracterizam um incidente e sua severidade. Com isto, é possível isolar e mostrar para a TI a causa raiz de forma mais rápida. Quando falamos de enriquecimento, o melhor exemplo é quando temos um incidente ocorrendo em um servidor. Ao invés do operador ter que acessar bases distintas para coletar informações sobre o mesmo, ele pode centralizar essas ações na console de eventos, melhorando o tempo de resposta ao incidente.

4 - Defina fluxo de resposta a incidentes

Na implementação é muito importante definir o fluxo de resposta a um evento gerado pela ferramenta e isto vai garantir que as áreas de negócios vejam o real valor no dia a dia da monitoração. Também é necessário ter um processo de notificação no qual existam os principais stakeholders na cadeia de comunicação

5 - Pense em Cloud

O Gartner afirma que “gastos de TI em cloud públicas está crescendo cinco vezes mais rápido do que gastos em todas as outras categorias da tecnologia”. Isto mostra que cada vez mais vamos ter aplicações rodando em ambientes de Cloud, mudando de forma expressiva a decisão de qual ferramenta APM usar. Com isto, deve-se analisar o modelo de nuvem (IaaS, Paas ou SaaS), que será mais adequada para sua aplicação a ser implementada. No caso de uma implementação no modelo SaaS, a área de TI não tem visão da infraestrutura que esta por trás, ficando a cargo do provedor.

Neste caso, o foco de sua implementação APM será somente na aplicação.

Fonte: CIO