Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Vale do Silício - Onde o sonho vira realidade

Por Renato Cruz

Escolha o próximo local de trabalho!

O Vale do Silício, na Califórnia, deu origem a algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo. Por lá, parece não haver crise econômica. Na história da região, a Universidade de Stanford desempenha papel central (Bill Hewlett e David Packard saíram de lá para montar a HP em 1939; assim como Larry Page e Sergey Brin, que interromperam seu doutorado para fundar o Google em 1998).

Em tempos de redes sociais virtuais, funciona no Vale uma rede social bem concreta, que une empreendedores, investidores e pesquisadores. No segundo trimestre, os capitalistas de risco investiram US$ 7,5 bilhões em 966 negócios nos Estados Unidos, segundo estudo da PricewaterhouseCoopers e da National Venture Capital Association. O Vale do Silício recebeu 39% desse total, mais do que qualquer outra região do país.

Algumas características do ambiente de negócios do Vale do Silício o diferenciam de outras regiões do mundo. Uma delas é a tolerância ao fracasso, encarado como uma forma de aprender o que não deve ser feito. Algumas das frases repetidas pela comunidade de tecnologia são “fail fast” (fracasse rápido) e “fail forward” (fracasse adiante). Na verdade, essa tolerância ao fracasso pode ser vista como a outra face do apetite por risco.

Outro segredo do sucesso do Vale do Silício é a atração de talentos de todas as partes. Empreendedores da China, da Índia e até do Brasil vão para lá para criar suas empresas, para estar próximos dos investidores e dos gigantes do setor de tecnologia. Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, mudou da Universidade Harvard, em Cambridge, para o Vale do Silício, quando quis transformar o Facebook num sucesso global.

Uma garagem no número 365 da Addison Avenue, em Palo Alto, é considerada o marco zero do Vale do Silício. Foi lá que, em 1939, os engenheiros Bill Hewlett e David Packard, recém-saídos de Stanford, fundaram a HP, incentivados pelo professor Frederick Terman, que estava cansado de ver os alunos da universidade mudar para a Costa Leste dos Estados Unidos depois da formatura.

A universidade cumpriu um papel importante na origem de outras empresas da região. O nome da Sun, que foi adquirida pela Oracle, é um acrônimo de Stanford University Network. “A universidade é um grande motor de criação de novas ideias, e de ensinar os estudantes a trazer suas ideias à vida”, disse Tina Seelig, diretora executiva do Stanford Technology Ventures Program. Apesar de ser um programa para formar empreendedores, é ligado à faculdade de engenharia, e não à administração.

“Nossa filosofia é considerar insuficiente para os estudantes sair da faculdade com um treinamento puramente técnico”, explicou Tina. “Eles precisam entender o mundo empreendedor em que vão atuar. É importante para eles como indivíduos para terem sucesso, para as empresas em que vão trabalhar, para o país e para o mundo.”

Um bom exemplo do espírito empreendedor cultivado em Stanford é a origem do Google. Foi durante o doutorado que Larry Page e Sergey Brin criaram o PageRank, tecnologia que deu origem a um buscador melhor que todos os concorrentes da época. Page ficou em dúvida se terminava o curso ou criava uma empresa e seu orientador, o professor Terry Winograd, sugeriu que ele empreendesse, já que, se o Google desse errado, Stanford estaria sempre lá. Page nunca terminou o doutorado.

Mais informações: Clique Aqui.

Até a Próxima!