Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Principais Fontes de Ameaças Digitais


O número de ameaças virtuais vem aumentando a cada dia. O ano nem acabou e já são registrados recordes de crescimento de malwares e vírus espalhados pela web e por dispositivos móveis, a maioria deles criada por cibercriminosos com intenção de roubo de dados e lucro com as informações obtidas.

Porém, os cibercriminosos são apenas uma fonte de ameaças virtuais levantadas pelo co-fundador da Kaspersky Lab, Eugene Kaspersky, na última semana. O especialista elencou outras quatro maneiras – e razões – para a criação de malwares.

Veja a lista:

Estudantes: de acordo com o especialista eles criam as ameaças por diversão. “Eles querem se apresentar para o mundo e ter orgulho do que fazem. Atualmente vemos menos disso, porque eles conseguem essa recompensa com os games”, explicou.

Grupos ativistas: neste caso, Kaspersky levantou duas visões sobre esse grupo. A primeira de que são ativistas sem objetivo financeiro. A segunda – e a que ele acredita – é que são revolucionários. Pessoas que penalizam o governo e as empresas. “Não existe diferença entre protestantes que quebram janelas, os hooligans e esses grupos. Falo isso porque eles causam danos aos servidores dos serviços atacados e as pessoas que os utilizam.” E continua. “Eles não tem o poder de decidir quem é bom e quem é ruim e se comportam como pessoas que tem esse poder, eles quebram as leis.”

Criminosos tradicionais: esses atacam bancos. De acordo com Kaspersky, a maioria dos ataques deste tipo são originados na China, na América Latina e na Rússia.

Cibercriminosos: ele explicou que esta categoria ataca principalmente empresas. “Eles são muito profissionais e conhecem as suas vítimas, sabem o que procuram. Em muitos casos atacam contas de banco, mas não buscam apenas dados financeiros, esses criminosos também estão atrás de informações secretas que serão vendidas para o mercado.”

Terroristas e governos: essa classe cria as ciberarmas como o Stuxnet e o Duqu. De acordo com Kaspersky, esta é a mais perigosa de todas as ameaças, já que pode causar desastres globais.

Fonte: ITWEB