Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

OEA e LACNIC firmam acordo por segurança cibernética


A Organização dos Estados Americanos (OEA) assinou um acordo de cooperação com o Registro de Endereçamento da Internet para a América Latina e o Caribe (LACNIC) para fortalecer as iniciativas das duas organizações no desenvolvimento da segurança cibernética nas Américas.

Segundo o diretor-executivo do Lacnic, Raúl Echeberría, “o crescimento da Internet na América Latina e o Caribe, com a penetração atual de 40% e mais de 225 milhões de usuários, apresenta novos desafios, incluindo incidentes cibernéticos através de tentativas de hacking cada vez mais sofisticadas que diminuem a confiança na Internet. Este acordo faz parte da política do LACNIC de trabalhar com a comunidade técnica da região para responder e mitigar o impacto de incidentes cibernéticos”. 


Na mesma linha, o embaixador Adam Blackwell, secretário de Segurança Multidimensional da OEA, disse que “este acordo cria sinergias com outros atores relevantes das Américas e a colaboração vai ajudar na promoção do fortalecimento das relações entre governos, o setor privado e a sociedade civil, garantindo, assim, uma abordagem multidimensional para a segurança cibernética”.

O acordo, que foi assinado durante a reunião do "LACNIC 19" em Medellín, Colômbia, permite a troca de informações entre ambas as instituições no que refere ao planejamento e desenvolvimento de iniciativas de segurança cibernética de interesse mútuo.

A associação formal vai ajudar na promoção dos esforços da OEA relacionados com a sua "Estratégia Interamericana Integral para Combater as Ameaças à Segurança Informática", e vai permitir que as organizações desenvolvam ações institucionais de pesquisa de cooperação acadêmica. Finalmente, a OEA e o LACNIC vão procurar melhorar as capacidades técnicas dos governos, desenvolver a coordenação e fortalecer as iniciativas educacionais para ter um uso seguro e confiável da tecnologia da informação nas Américas.

* Com informações do Lacnic