Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Cientistas testam física quântica para segurança em cartões de crédito

Pesquisadores afirmam que potenciais falsificadores teriam muitas dificuldades para vencer um mecanismo de autenticação que utiliza o conceito

Cientistas aplicaram física quântica em um projeto para tornar cartões de crédito à prova de fraude. O experimento ocorreu na Holanda e a abordagem, que batizaram de Quantum-Secure Authentication (QSA), utiliza partículas individuais de luz, ou fótons, e sua capacidade de codificar dados para, com isso, impedir que criminosos rastreiem informações.

A tecnologia beneficia-se de uma propriedade dos elementos de luz que permite que estejam efetivamente em vários lugares ao mesmo tempo. Dessa forma impedem que criminosos compreendam informações nas tarjetas, não deixando que “emulem a chave [de autenticação] digital” e “construindo digitalmente uma resposta ótica” ao ataque.

Os especialistas da universidade de Twente e de Eindhoven revestiram um cartão de crédito com uma fina camada de tinta branca contendo milhões de nanopartículas. Quando a luz atinge as nanopartículas, elas saltam e criam um padrão, face à posição exata das partículas na pintura.


Para autenticar o cartão, um caixa automático, por exemplo, incidirá um impulso de luz único para cada transação. Quando o padrão produzido emerge como a “resposta” para a “pergunta” ou solicitação do ATM, o cartão é autenticado.

Embora um criminoso possa medir todo o padrão de luz e, em seguida, usar um projeto para retribuir uma resposta correta, a capacidade dos fótons de estarem em vários lugares ao mesmo tempo, permite que o caixa crie uma questão complexa de luz com apenas um pequeno número elementos.

Devido às características da física quântica, uma tentativa de observar o processo de pergunta e resposta entre um leitor e o cartão iria destruir a informação na transmissão, tornando- os um sistema seguro.