Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Desligue o GPS de seu dispositivo móvel


Quer segurança e privacidade? Recurso pode ajudar com indicações de rotas, mas informações pessoais dele estão sendo coletados hoje de muitas maneiras inesperadas

Usuários de  smartphones e tablets costumam dar aos aplicativos que baixam da Apple e da Google Play permissão para capturar seus dados de geolocalização, que têm por objetivo informar onde essas pessoas estão. A prática é condenada por muitos especialistas de segurança, que recomendam uma atitude radical: “desligue essa função GPS, a menos que ela seja realmente necessária”.

"Talvez você não queira que milhões de pessoas saibam onde você mora", diz Alan Brill, diretor administrativo sênior da Kroll Advisory Solutions. Segundo ele, os smartphones com chips GPS de hoje em dia irão incorporar informações de geolocalização nas fotos que você publica em redes sociais como recurso padrão. Para retirar esses dados de suas fotos é necessário o uso de um software para ver o EXIF da imagem. Há muitos deles, para uso em desktop em sua maioria, disponíveis gratuitamente online.

Alan diz estar especialmente preocupado com o geotagging em fotos de crianças e adolescentes.  Mas há implicações para as empresas também, de acordo com a Kroll, que recentemente enviou um comunicado aos seus clientes sobre o tema. As agências reguladoras ao redor do mundo, especialmente na Europa, estão começando a debater se as informações de geolocalização devem ser consideradas dados sensíveis. Em caso afirmativo, empresas que coletam e armazenam esses dados como parte de campanhas de marketing terão que começar a considerá-los algo que um dia poderá carregar um fardo jurídico enorme em caso de violação.

O dispositivo de função GPS pode ser desligado, e, na maioria dos casos, provavelmente deve ser, recomenda ele. O recurso pode ajudar com indicações de rotas, mas informações pessoais dele estão sendo coletados hoje de muitas maneiras inesperadas.

Assim como Brill, Dodi Glenn, gerente de produtos da GFI para a linha VIPRE de produtos anti-malware para consumidores, incentiva os usuários a dizerem não para a busca de dados do GPS em seus aparelhos.

Glenn observa que é bastante comum que os aplicativos peçam permissão para coletá-los, e as pessoas rotineiramente digam sim sem saber o que realmente estão aceitando. Mas, não raro, essa permissão nem chega a ser pedida.

Fonte: IDGNOW