Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Sete pesquisas que prometem revolucionar a TI

Eles ainda estão em fase de pesquisa e espalhados pelos mundo afora, como é o caso da bateria em spray, o serviço de resgate via Wi-Fi e um algoritmo para combate a ciberataques corporativos.

A indústria de Tecnologia da Informação e Comunicação tem a inovação em seu DNA, seja com desenvolvimento interno ou apostas disruptivas de laboratórios independentes e universidades. Como resultado disso, muitas tecnologias futuristas estão sendo criadas pelos gênios desse setor em diversos centros de pesquisas espalhados pelo mundo.

Algumas dessas tecnologias ainda estão protótipos em laboratórios e com grande chance de se tornarem produtos comerciais num futuro não muito distante.

A seguir você confere algumas.

1- Tradutor de idiomas Duolingo

Desenvolvido pelo professor Luis von Ahn, guatemalteco, e seu aluno de graduação, Severin Hacker, da universidade Carnegie Mellon, o Duolingo é um serviço online grátis que permite que as pessoas aprendam simultaneamente novos idiomas e traduzam textos de outros sites. O Duolingo é uma versão evoluída do tradicional Google Translator, mas com capacidades mais avançadas que prometem romper as barreiras idiomáticas entre os povos do planeta.

2- Resgate via Wi-Fi

Pesquisadores alemães da Universidade Técnica de Damstadt criaram uma forma de fazer com que os roteadores domésticos Wi-Fi se tornem redes de backup para serem utilizadas pela polícia, bombeiros e outros serviços de emergência quando a telefonia tradicional estiver fora do ar. Os inventores deste sistema garantem que a atual proliferação de roteadores e a densidade são suficientes para criar uma rede mesh extensa o suficiente para atender serviços de emergência. A única questão é saber se os cidadãos vão aceitar o acesso de seus roteadores particulares pelas autoridades devido aos problemas de segurança.

3-Combate ao ciberataque

Os engenheiros da Universidade de Tulsa querem diminuir a velocidade de acesso e o tráfego de entrada em um sistema específico para ajudar administradores de rede a combater ataques cibernéticos. Segundo esses pesquisadores, a redução de tráfego permite detectar malware e criar um algoritmo de defesa contra ataques às redes corporativas em alta velocidade.

4-Defesa de segurança

Especialistas da Universidade de Washington criaram um jogo de cartas chamado Control-Alt-Hack, projetado para explicar facilmente os conceitos básicos de segurança para os estudantes de Ciência da Computação. O jogo, apoiado em parte pela Intel e pela National Science Foundation dos Estados Unidos, foi lançado oficialmente na conferência de segurança Black Hat, realizada recentemente em Las Vegas.

O Control-Alt-Hack é um jogo de tabuleiro para três a seis jogadores que trabalham para uma empresa chamada Hackers Inc.  Os jogadores enfrentam diversos desafios de segurança, como hackear o sistema de pagamento de um mini-bar do hotel ou um implante médico via Wi-Fi .

O jogo é recomendado para pessoas com mais de 14 anos e não requer nenhum conhecimento prévio de computadores, mas grandes doses de humor e vontade de aprender.

5- Software com menos falha

Um grupo de pesquisadores da Universidade de San Francisco foi surpreendido com o número de vezes que cada u deles falhou no desenvolvimento de software, elevando os custos inicial de projetos. Por isso o grupo decidiu criar uma técnica para treinar engenheiros de software para que possam trabalhar juntos de uma forma mais eficiente. A pesquisa, que também envolveu pesquisadores da Universidade Florida Atlantic University e da Universidade de Fulda, na Alemanha, está realizando um experimento com alunos para criação de um modelo de software que prevê quando uma equipe está fadada ao fracasso. Eles conseguem fazer essas previsões com base nas relações e interações sociais entre os participantes da equipe de desenvolvimento.

6- 4G já é passado

A Universidade de Arkansas está envolvida em um projeto ambicioso para o desenvolvimento de sistemas de comunicação sem fio de baixíssimo consumo de energia. A nova tecnologia pode coletar e enviar dados via sensores remotos, com pouca distorção para longas distâncias. Esses sistemas tolerantes vão permitir que as baterias e outros componentes durem mais tempo e consumam menos energia em diversas aplicações. Podem ser úteis para o monitoramento de animais e para as redes de comunicação em túneis ou em ambientes fechados e difíceis de captarem sinais.

7-Baterias em spray

Hoje todos sofrem com as baterias em laptops e celulares. Mas não se preocupe: este tipo de infortúnio pode entrar para a história graças a um protótipo desenhado pela Rice University, em Houston: um spray bateria.

A bateria recarregável é similar as lítio usadas hoje na maioria dos dispositivos móveis. A diferença é que o protótipo pode ser aplicado em todas as camadas de superfície, com um spray convencional, dispensando o uso de carregadores.

Fonte: IDGNOW