Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

Empregos em TI: as áreas que vão bombar em 2013


Sejam posições consolidadas ou novas áreas, cloud computing, mobilidade, explosão de dados e redes sociais vão afetar comportamento do profissional de tecnologia

As perspectivas do Gartner indicam que o movimento chamado de Nexus of Forces – que englobam Cloud Computing, Social, Mobilidade e Explosão de Dados – vai ditar o futuro do departamento de TI nos próximos anos. E são pessoas que foram as áreas da empresa (pelo menos por enquanto), o que faz com que as tendências tenham efeito direto nas oportunidades de carreiras dos profissionais.

O IT Web entrevistou especialistas de duas instituições de ensino – Faculdade de Tecnologia Fiap e BandTec – e da empresa de recursos humanos especializada em TI Desix e chegou às áreas que vão bombar de oportunidades profissionais a partir de 2013.

“O grande movimento que começou de alguns anos para cá teve muita origem nas mídias sociais e na mobilidade. Esses dois foram os grandes polos de geração de novas necessidades, que acabaram transformando algumas funções e derivando outras”, explicou André Assef, sócio fundador da Desix, RH para tecnologia.

Para o porta-voz da BandTec, Mauricio Pimentel, este novo cenário dentro da profissão traz um problema diferente do enfrentado alguns anos atrás. “Capacidade técnica não tem sido um grande problema, o que tem sido grande problema é a capacidade de gestão”, ponderou.

E isso é verificado por um movimento de descentralização do departamento e sua extrapolação para demais áreas da empresa. “O papel que a tecnologia deveria estar desempenhando há muito tempo passou a ser uma realidade agora: a TI é meio, e não mais fim. O problema de antes é que a área de negócios não conversava com a área de tecnologia. Hoje, há facilidade de se contratar uma solução que nem de infraestrutura precisa. Você praticamente tirou a necessidade de um poliglota dentro da empresa”, comparou Assef.

“Há áreas que são impactadas pelas novas tecnologias e outras que sempre demandarão profissionais”, ponderou Leandro Rubim Freitas, coordenador dos cursos tecnológicos da Fiap.

Por esse motivo, as profissões que devem bombar em 2013 estão divididas em duas partes: áreas consolidadas, que terão novas atribuições, e áreas que começam a dar seus primeiros passos.

Consolidadas:

- Arquiteto de soluções: o arquiteto de soluções sempre será necessário, em especial com o alto número de novos programas e aplicações que chegam às companhias todos os dias e que precisam ser integradas ao bolo todo. Não é uma nova profissão, mas com certeza é uma atividade que ainda será demandada por muito tempo

- Analistas de infraestrutura: principalmente por causa da virtualização e de cloud computing, mudança nos conceitos estão obrigando esses profissionais a se atualizar, o que gera uma ótima oportunidade para quem já empregou as novas filosofias a seu currículo

- Designers: este profissional tem que se adaptar aos diferentes tamanhos de telas nas quais as aplicações irão rodar – e tudo tem que funcionar perfeitamente, seja em um computador, um smartphone e um tablet. O foco agora é experiência do usuário, sem espaço para aplicações corporativas feias, como no passado

- Programadores: sempre existiram, sempre existirão. O necessário, neste momento, é dominar ambientes de missão critica para autenticação de transação financeira, já que comércios online estão crescendo

- Segurança: com a diferença entre vidas online e offline cada vez mais sutis, a segurança da informação ganha força

- Banco de dados: os bancos de dados estão mais complexos por conta da explosão de informação,  que estimula a necessidade de mais profissionais que compreendam essa área
Telecomunicações e 4G: por conta dos investimentos em infraestrutura, especialmente para atender à Copa do Mundo de 2014 e à Olimpíada de 2016, profissionais com especialização em infraestruturas parrudas de telecomunicações serão alvos de contratações já a partir deste ano

- Qualidade de software: com a dependência cada vez maior de sistemas, o profissional de qualidade de software ganhará importância dentro da corporação com o foco em garantir o melhor funcionamento das aplicações, já que cada falha impacta diretamente o usuário, seu desempenho e, por consequência, o resultado da empresa.

Novas áreas:

- Cientista de Dados: segundo Freitas, da Fiap, só no Brasil serão necessários 500 mil profissionais nos próximos anos com especialização em Big Data. “Esta seria uma nova formação, um estilo de armazenamento de dados diferente do tradicional, por conta do alto volume”, explicou, detalhando a necessidade de especialização em cloud computing.  “O antigo analista de dados e o novo cientista de dados são parecidos. Mas a nova nomenclatura faz a diferença, porque o novo profissional é responsável por fazer a mineração em uma quantidade muito maior de dados, sendo que a maior parte é desestruturada”, explicou Pimentel.

- Business Intelligence: ainda considerada nova, esta área apresenta forte crescimento por conta da alta demanda de dados. É cada vez mais necessário ter profissionais que consigam fazer uma leitura do amontoado de dados em bases de dados relacionais

- Desenvolvedor móvel: este já despontou e continuará crescendo, principalmente para as plataformas iOS (Apple), Android (Google) e Windows Phone (Microsoft).

Fonte: ITWEB