Postagem em destaque

Como iniciar a sua carreira de Segurança da Informação?

Planejamento para se tornar um Analista de Segurança da Informação. Monte o Seu. Após um pouco de pesquisa sobre o tema e conversad...

iSpy - Protótipo de Programa Espião

Por: Luciana Vieira


Cuidado, você pode estar sendo vigiado! O que parece ser a chamada de um filme de suspense, na verdade é um alerta contra a espionagem de dados em dispositivos móveis. O programa iSpy, criado por dois pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, pode capturar textos digitados em uma touchscreen a até 60m de distância.

O software, idealizado por Jan-Michael Frahm e Fabian Monrose, foi apresentado na Conferência sobre Segurança em Informática e Comunicações, em Chicago, e funciona captando remotamente sequências de imagens dos pontos pressionados na tela e, assim, identifica as letras digitadas.

Como letras próximas podem se sobrepor e confundir o programa, ele atribui uma probabilidade de precisão para cada letra detectada. Segundo Frahm, o índice de acerto do programa ao identificar as letras é de mais de 90%. É possível também capturar senhas. Para isso, o programa detecta as letras de forma avulsa, sem formar palavras.

Dispositivos touchscreen aumentam o risco de ataques espiões simplesmente porque utilizam um recurso próprio dessas telas: as magnified keys, ou chaves ampliadas, que tornam as posições das letras bem previsíveis. "Podemos estar no segundo andar de um edifício e ler um telefone no chão", disse Frahm. "O ataque é muito realista”, completou, ao se referir ao teste realizado por sua equipe, que testou o espião de dentro de um prédio, com um colega de trabalho utilizando um dispositivo móvel num ponto de ônibus.

Para a espionagem, basta uma câmera de telefone celular comum ou uma SLR digital que captura vídeos HD. A primeira pode ler uma tela posicionada a 3m de distância e a segunda a 60 m. Segundo os dois pesquisadores, os testes foram iniciados a partir de questionamentos sobre a privacidade na utilização de telefones móveis. Resolveram, então, comprovar suas teorias criando o software bisbilhoteiro.

Além disso, os cientistas aproveitam para dar dicas de proteção, como desabilitar o recurso de letras ampliadas, por exemplo. Portanto, a todos que costumam usar seus mobiles sem nenhum cuidado, resta ter maior atenção.



Fonte: TechTudo